Quarta-Feira, 31 de Marco de 2021

ABA comemora o Mês da Mulher. E que mulheres! Paula Boaventura, Naiara Boscoli, Tatiane Barros, Ana Ricarte, Djenane Nodari e Marilza Figueiredo

Ana Lucia Ricarte celebra 27 anos de advocacia e assume liderança da ABA-MT

Neste mês de março, em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, a Dra. Ana Lucia Ricarte comemora com muita alegria e sucesso 27 anos de profissão e a fundação de seu bem-sucedido escritório, bem como acaba de aceitar o desafio de liderar a Associação Brasileira de Advogados do Brasil em Mato Grosso, a ABA-MT. Além disso, a advogada acaba de lançar, em parceria com a Dra. Dynair Souza, o programa “Advocacia 5.0 de Sucesso”, um infoproduto que irá auxiliar os advogados e as advogadas a atingirem a excelência na advocacia.
Há quase 30 anos, a Dra. Ana Lúcia Ricarte tem tido uma plena atuação como advogada familiarista em Mato Grosso. Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), é pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil, Direito Administrativo e Processo Administrativo, Direito do Trabalho e Processo do Trabalho, Direito Empresarial, bem como possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Sócia-proprietária da banca Ricarte Advocacia, Ana Lucia Ricarte também é diretora da Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso, é membro do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM), hoje ocupando o cargo de presidente da Comissão de Família e Tecnologia do IBDFAM-MT.
Além de falarmos sobre as mulheres na advocacia, Ana Lucia Ricarte também conversou com a equipe da Revista Magazine Ilustre sobre a ABA-MT, entre outros assuntos correlatos. Confira a seguir.

Magazine Ilustre – Como é ser advogada em uma área predominantemente masculina e ainda liderar uma Associação de Advogados?
Atualmente, a advocacia não é mais predominantemente masculina. Já somos mais de 50% dos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em todo o país e, inclusive, em Mato Grosso. Na Associação Brasileira de Advogados do Brasil (ABA) somos 70% dos quadros e temos muita liberdade e igualdade de trabalho, pois a missão da ABA é exatamente que sejamos iguais e que todos tenham as mesmas oportunidades de desenvolver sua carreira.

Magazine Ilustre – Você se considera uma empreendedora?
Sim. Fundei meu escritório e desenvolvi meu instinto empreendedor participando de diversos cursos de gestão, inclusive cursei pós-graduação em Gestão de Negócios. Sou curiosa, resoluta e incansável em busca de uma excelente administração da banca Ricarte Advocacia, conforme os padrões profissionais de gestão e de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Hoje conto com uma equipe bem montada e de excelência, assim como posso contar com a parceria dos meus sócios, Flávio Ricarte, que é meu filho, Dra. Joelma Ribeiro, Dr. Carlos Eduardo Feliciano e Dra. Stella Velter. Neste ano, estou comemorando 27 anos de profissão e de escritório e só tenho a agradecer aos meus clientes, amigos, colegas, sócios, colaboradores e ao Judiciário por tudo que conquistei e as boas experiências que compartilhamos. Eu tenho convicção de que a profissão é um dom e eu fui agraciada com a oportunidade de poder concretizá-lo.

Magazine Ilustre – Como é liderar a Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso?
É um desafio e uma enorme honra para mim. Sou grata ao Dr. Esdras Dantas, presidente da ABA, que me oportunizou estar nessa Associação e poder liderá-la em Mato Grosso, pois ela se difere de todas as outras em seu propósito e projeto. Tomei posse no ano passado, em 12 de março, e dois meses depois mais 36 colegas tomaram posse para atuarem em seis comissões. Dessa maneira, atualmente somos 16 comissões e 120 colegas advogados e advogadas, que estão engajados, produzindo conteúdos de qualidade, realizando palestras, webinares, congressos, lives e tendo a oportunidade de fazer network com os colegas de todas as ABAs no Brasil e no exterior.
A Associação Brasileira dos Advogados foi criada há 18 anos, com sede em Brasília e representantes em todos os estados, assim como internacionalmente. Somos uma grande rede e fábrica de líderes, com a missão de integrar os advogados e contribuir de forma significativa para suas carreiras. Por isso, estou muito feliz em poder conviver com colegas do Brasil inteiro e principalmente com os colegas de meu estado. Somos uma grande família ABA e nessa Associação o nosso crescimento e desenvolvimento são visíveis e se dão de forma muito harmoniosa.

Magazine Ilustre – Neste mês de março, que celebramos o Dia Internacional da Mulher, qual a mensagem que você gostaria de deixar para as mulheres?
Para mim, março é um mês muito especial, pois, além de ser mês da mulher, é também do meu aniversário e quando completarei 27 anos de advocacia. Pensando neste mês tão especial, a Comissão da Mulher da ABA, presidida pela Dra. Bárbara Lenza, preparou uma programação incrível. Além disso, a mensagem que deixo a todas as mulheres é que sempre trabalhem por seus sonhos, objetivos, propósitos e felicidade. Procurem julgar menos e pratiquem mais o autoconhecimento. A abundância e o sucesso residem dentro de cada uma de nós.

Saiba mais:
www.ricarte.adv.br
Instagram: @aba_mt, @adv5.0desucesso, @anaricarteadvogada

Advogada Dra. Djenane Nodari esclarece principais aspectos do Direito Médico e Direito à Saúde

A Dra. Djenane Nodari, natural de Tangará da Serra, Mato Grosso, é advogada atuante há mais de uma década. Formada em Direito, pelo Centro Universitário Cândido Rondon em Cuiabá/MT, é pós-graduanda em Direito Médico, especialista em Direito Médico e Direito da Saúde, pós-graduada em Mediação, Conciliação e Arbitragem e pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil.
Antes de ingressar nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil, lecionou em diversas faculdades do interior de Mato Grosso, no curso de Direito. Dentre as disciplinas trabalhadas, foi professora de Processo Civil, Direito das Famílias, Direito das Sucessões, Direito Internacional Público e Privado. Na advocacia, atuou no ramo do Direito Civil nas especialidades de Responsabilidade Civil, Direito das Obrigações, das Famílias e das Sucessões.
Antenada às inovações no universo jurídico, desde 2014 a Dra. Djenane Nodari se dedica aos estudos teóricos e práticos e na advocacia exclusiva no Direito Médico e Direito à Saúde na esfera da Responsabilidade Civil das instituições de saúde, dos profissionais de saúde e dos médicos. Em entrevista à Magazine Ilustre, a advogada falou sobre vários assuntos. Confira a seguir!

Quais os desafios e as oportunidades em atuar na área de Direito Médico?
A atuação em Direito Médico ou Direito da Medicina, como também é conhecido, e Direito à Saúde, é desafiadora, pois, além da necessidade de conhecimento do arcabouço jurídico que envolve o caso concreto, ainda é necessário conhecer termos técnicos específicos da área da medicina para uma excelente atuação. O Direito Médico e o Direito à Saúde é muito dinâmico e é preciso muita dedicação de estudo nesses dois campos do conhecimento. Militar nessas áreas do conhecimento é uma missão muito desafiadora, mas também gratificante, porque está imbricada ao bem maior da vida, que é a saúde. As oportunidades são amplas e está em constante crescimento, chegando a ser uma das áreas do Direito com maior índice de processos distribuídos no Poder Judiciário, conforme informações extraídas em simples pesquisa no site do Conselho Nacional de Justiça.

Poderia nos falar um pouco sobre sua atuação na Associação Brasileira de Advogados (ABA)?
Conheci a Associação Brasileira de Advogados (ABA) por meio da querida amiga e também advogada Dra. Ana Lúcia Ricarte, diretora da ABA em Mato Grosso. Fui surpreendida com uma ligação dela destacando a fantástica e inovadora instituição formadora de líderes que é a ABA. Imediatamente aceitei o convite e me filei como membra da Comissão de Direito do Estado e Ciência Política. Alguns dias depois, a Dra. Ana Lúcia me convidou para presidir a Comissão de Direito da Saúde, papel que atualmente desempenho com muito orgulho e gratidão. Sinto-me honrada e privilegiada em integrar a ABA, somos recebidos e acolhidos com muito carinho e igualdade. A ABA tem um papel fundamental no campo profissional e pessoal porque instiga para a mudança de pensamentos e comportamentos, provoca autorreflexão, possibilita um networking fantástico, é um grande celeiro de possibilidades de ressignificação de carreira e de vida. Além disso, este ano será muito especial para a Comissão de Direito da Saúde da ABA em Mato Grosso porque juntos vamos concretizar os projetos elaborados no plano estratégico e, dentre eles, destacamos o Saúde Legal, que tem como eixo o debate acerca dos direitos sociais à saúde; bioética e biodireito; responsabilidade dos médicos, das instituições de saúde e dos profissionais de saúde; judicialização da saúde, dentre outros, pois entendemos que são temas de relevância para a sociedade civil, as instituições, o meio acadêmico, a administração pública e o Poder Judiciário.

Contatos
advdn.com.br
[email protected]

Marilza Moreira fala sobre a atuação profissional e na Associação Brasileira de Advogados

Nascida em Corumbá, Mato Grosso do Sul, onde passou sua infância, Marilza Moreira de Figueiredo vem construindo uma trajetória repleta de experiências em várias áreas do conhecimento. Filha mais velha de Waldomiro Moreira de Castilho, funcionário público da Marinha Mercante, e de Paulina de Souza Castilho, costureira e professora do Sesi, sua atuação profissional também tem relação com sua família.
Em 1977, mudou-se para Cuiabá para terminar o ensino médio, pois almejava ingressar na Faculdade de Direito. Nesse mesmo período, Marilza foi aprovada em concurso nos Correios, onde trabalhou por 37 anos e ocupou diversas funções de chefias e gerências nas áreas de Inspetoria, Recursos Humanos, Marketing, Financeira e Assessoria de Comunicação e Eventos.
Durante a época em que atuou nos Correios, concluiu as graduações de Geografia, Comunicação Social – habilitação em Jornalismo e Direito. Pensando em seguir carreira na área jurídica, buscou complementar seu currículo com pós-graduações em Direito do Trabalho, Processo do Trabalho, Direito Público e Direito Previdenciário. Além desses cursos, também está fazendo pós-graduação em Mediação e Resolução de Conflitos.
Inspirada pela sua mãe, que era costureira, Marilza sempre trouxe consigo uma grande paixão: a moda. Após deixar o serviço público, resolveu atuar também em uma outra frente: a da moda e etiqueta. Em 2018, passou quatro meses em Curitiba, onde concluiu o curso de Consultoria de Imagem & Estilo no Senac/Curitiba. Em São Paulo, participou de vários cursos de Etiqueta, Personal Stylist e “Personal Welcome” pela Escola Brasileira de Etiqueta e com o consultor de etiqueta Fabio Arruda.

Atuação na área de Direito
Atualmente, Marilza Moreira integra a Diretoria Jurídica da BPW Cuiabá, como 2ª Diretora, atua na Comissão de Mediação, Arbitragem, Práticas Restaurativas e Sistêmicas da Associação Brasileira de Advogados (ABA) em Mato Grosso, advoga na área de Direito Previdenciário, bem como presta consultorias sobre a importância da Imagem Pessoal e Profissional no mundo corporativo para advogados e outros profissionais.
Além da ABA, a advogada também integra o Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), assim como é membro da Federation of Image Professionals International (FIPI). Atua também como conselheira suplente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher/MT, conselheira suplente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher em Cuiabá e é funcionária pública federal aposentada.

Contatos:
@marilzamoreiraconsultora
@marilzamoreiraadv
[email protected]

Advogada Naiara Boscoli explica sobre a área do direito da mineração

Natural de Cuiabá, a advogada Naiara Boscoli Venancio Moraes sempre se identificou muito com Direito Administrativo e também na atuação extrajudicial. Cursando pós-graduação em Direito do Agronegócio, Naiara Boscoli já possui pós-graduação em Direito Administrativo e da Mineração. A advogada diz que, por já ter familiaridade com processos administrativos, negociações, foi muito fácil se encantar pela área, e hoje se diz totalmente realizada profissionalmente. “Há tempos minha atuação é pautada na consultoria preventiva que de fato evita a composição de litígios. Foi através de uma dessas consultorias que vivenciei toda a implantação de um empreendimento mineral aqui em nosso estado. Desde então, há cinco anos sou completamente apaixonada pela área de Direito da Mineração”, explica.
Mas, afinal, o que é Direito da Mineração? Segundo Naiara Boscoli, atuar nessa esfera é muito mais do que protocolos; é entender que o processo administrativo mineral precisa ser conduzido por uma equipe multidisciplinar, no qual o advogado é indispensável. “Ainda que não exista ordenamento jurídico exigindo a nossa presença, vejo a extrema necessidade, pois cada profissão tem a sua qualificação técnica e dentre as inúmeras do advogado está gestão processual”, ressalta. Além de explicar sobre essa área, a advogada, em entrevista a esta Revista, também falou sobre a Associação Brasileira de Advogados.

Quais os desafios e as oportunidades em atuar nessa área do Direito à Mineração, que historicamente foi mais dominada por profissionais homens?
No início não foi fácil atuar no setor, até porque meu trabalho envolve muito mais do que protocolos dentro do escritório, pois vou sempre a campo. É exatamente isso que me impulsiona, mas foi preciso posicionamento, dedicação e competência para ocupar meu espaço. Hoje posso ver muitas mulheres inseridas na mineração, principalmente no trabalho técnico. Vejo grandes mulheres à frente de empresas, do corpo técnico e até mesmo jurídico. Acredito que a mulher tem grande destaque e importância no desenvolvimento da mineração em nosso país, inclusive existem grupos internacionais que apoiam essa inclusão e podemos ver o avanço das mulheres na indústria de mineração. Além disso, vejo muitas oportunidades nessa área de atuação, principalmente em nosso estado.
Mas é preciso estar em constante estudo da matéria, assim como ter um pouco de conhecimento técnico, entender de Direito Administrativo, Empresarial, Civil, pois o Direito da Mineração envolve atuação também em outras áreas do direito.

Poderia nos falar sobre sua atuação na Associação Brasileira de Advogados (ABA)?
Conheci a ABA em uma solenidade de posse de alguns amigos na sede em Brasília. Na mesma ocasião pude observar a seriedade da instituição, bem como não havia uma comissão temática sobre a mineração. Passei a compor a diretoria da Comissão Nacional de Direito Minerário, na qualidade de presidente em 25 de setembro de 2019. Nossa atuação consiste na interlocução do setor mineral privado com os órgãos reguladores. Procuramos um melhor desenvolvimento e regulação legislativa para o setor, sempre pautada pela valorização e cumprimento das prerrogativas de nós, advogados, perante a administração pública. Hoje estou inserida na ABA nacional e do estado de Mato Grosso, da qual, como cuiabana, tenho muito orgulho em participar. Neste último ano, apesar da inesperada pandemia, a ABA Mato Grosso realizou projetos incríveis por meio de suas comissões temáticas, ganhando representatividade nacional. Para 2021, os projetos são ainda mais grandiosos.

Contatos:
@naiaraboscoliadvocacia
www.naiaraboscoli.com.br
Linkedin: naiaraboscoli

Advogada Paula Boaventura fala sobre os desafios de atuar no Direito Agrário

Paula Boaventura é bacharel em Direito pela Universidade de Cuiabá (Unic) e atua como advogada desde 2006. “A minha primeira atuação profissional ocorreu no processo eleitoral em 2006, quando o ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi pleiteou a reeleição para o Governo de Mato Grosso. Desde então, sucessivamente, trabalhei no cenário eleitoral mato-grossense nos pleitos estaduais e municipais. Em 2018, tive a satisfação de trabalhar com o ex-deputado Adilton Sachetti, e nesse período encerrei minha participação e atuação nos processos eleitorais”, relembra a advogada.
Especialista em Direito Constitucional, pela Fundação Escola do MP/MT, especializada também em Direito e Controladoria Externa da Administração Pública, pela FGV/TCE, atualmente Paula Boaventura cursa especialização em Direito Processual Civil, na Fundação Escola Superior do MP/MT e Direito Agrário e Ambiental, pelo Instituto Brasileiro de Mercado e Capitais – Complexo Damásio de Jesus. Intitulada Cidadã Cuiabana e homenageada com moção de Aplausos pela Câmara Municipal de Cuiabá, Paula Boaventura também recebeu a Moção de Aplausos pela atuação e desempenho profissional no município de Várzea Grande.
Natural de Chapada dos Guimarães, é filha de pecuaristas residentes nesse município e conheceu na adolescência as dificuldades da política agrícola, seja com a liberação de Pronafs, ou ainda, em parcerias agrícolas. “Em 2019, veio a oportunidade de atuar diretamente no agronegócio por meio de procedimento de mediação buscando consenso na regularização fundiária e segurança jurídica dos notários junto à Anoreg, Intermat e Corregedoria do TJ/MT”, explica a advogada.
Contratada pela Aprosoja, conduziu junto à Câmara de Mediação Amis o procedimento de mediação coletiva buscando delimitar rol de documentação necessária ao registro de georreferenciamento, assegurada com o anexo do artigo 1.615 da CNGCE/MT o rol taxativo de documentos para averbação de georreferenciamento, alterando artigo da Consolidação das Normas Gerais da Corregedoria-Geral da Justiça – Foro Judicial do TJ, e por decisão e exposição de motivos foi publicado o Provimento 22/2019-CGJ. “Assim, nasceu o check list exigido pelos cartórios. Tida como atuação exitosa e promissora, veio meu segundo desafio: discutir em âmbito coletivo ato administrativo com regulamentação técnica em âmbito de defesa vegetal e ambiental – a famigerada IN 002/2015 Indea/Sedec”, comenta.
Paula Boaventura afirma que ser advogada no agronegócio é um grande desafio. Segundo ela, trabalhar na busca de resolutividade de demandas legais, econômicas que englobam desde riscos de lesão a direitos, ou ainda, ao patrimônio do produtor rural, requer credibilidade e confiabilidade. “Por ser advogada, posso dizer que ainda há ressalvas na atuação feminina. Sustentar legalmente a tutela de direito do produtor rural perante órgãos públicos, lidar com atos administrativos viciados, trabalhar questionamentos onde há legislações omissas, enfrentar tratativas com reserva econômica de mercado, ou mesmo, atuar nas transações negociais, requerem atuação precisa e pontual na busca do resultado efetivo da problemática”.

Atuação na Associação Brasileira de Advogados
De acordo com Paula Boaventura, o procedimento de mediação foi uma inovação profissional na sua carreira profissional e foi por essa expressiva experiência que recebeu o convite para compor a Comissão de Mediação da Associação Brasileira de Advogados (ABA). “Como a ABA/MT é liderada por uma advogada visionária e futurista, a Dra. Ana Lucia Ricarte, também fui convidada para contribuir com a constituição da Comissão do Direito do Agronegócio. Aceitei o convite, firmei o compromisso de atuar em representatividade na defesa do direito do produtor rural e zelar pelo cumprimento da legislação pátria”, comenta. Finalizando, Paula Boaventura diz que é “grata pela oportunidade de integrar a ABA e pelos colegas que compõem essa comunidade jurídica”.

Contatos:
@paulaboaventuraadv
@abaagromt

Advogada Tatiane Barros Ramalho destaca contribuições da Associação Brasileira de Advogados

Cuiabana, formada em Direito, pela Universidade de Cuiabá (Unic), na turma 2002/2003, Tatiane Barros Ramalho é apaixonada pela área do Direito. Ao longo dos anos, ela foi se especializando em diferentes ramos do Direito, “de modo a oferecer soluções rápidas, eficientes, criativas e com o melhor custo-benefício para seus clientes, atuando de forma preventiva, administrativa e judicial nos mais importantes temas do Direito de Família e Sucessões, Direito do Consumidor, Direito Agrário, Direito Civil e Direito Penal. A advocacia é a minha grande paixão e inspiração. É fazer todos os dias um pouco mais do que acha que consegue, trabalhando com amor e dedicação pelo que se acredita é uma grande satisfação”, explica a advogada.
Com pós-graduações em Direito Civil e Direito Penal, Tatiane Barros Ramalho se especializou em Direito de Família e Sucessões, bem como na área de Direito Penal, além de ser orientadora e palestrante na área da infância e juventude. Segundo Tatiane Barros, “o sonho de lutar por um país mais justo fez com que me dedicasse à área de infância e juventude, atuando como presidente da Comissão de Infância e Juventude da OAB-MT, ministrando palestras, seminários, congressos”. Além disso, a advogada atua como conselheira titular do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente (CEDCA/MT); membro titular da Comissão Nacional de Defesa dos Direitos da Criança do CFOAB.
Fundadora do Escritório Barros, Ramalho & Zanardo Advogados Associados, com atuação em Cuiabá e Sorriso, é conselheira estadual da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT), vice-presidente da Comissão de Gestão, Estratégia e Liderança na Advocacia, da Associação Brasileira de Advogados (ABA). É também membro associada do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM), atuando na área de adoção. “Essa área é uma das paixões e não meço esforços em apoiar as causas de adoção no nosso país”, complementa.
Atuação na Associação Brasileira de Advogados (ABA)
Segundo a advogada, ela foi convidada a ingressar na Associação Brasileira de Advogados (ABA) Cuiabá, pela presidente da Comissão de Gestão, estratégia e liderança, Dra. Dynair Alves de Souza. “Tive a honra de ser convidada para ingressar na família ABA, cuja finalidade é promover a integração dos advogados e capacitá-los profissionalmente, discutindo temas de gestão e liderança na advocacia, pugnando pela boa prática da advocacia e pela defesa da Constituição Federal e dos princípios éticos que regem nossa profissão”, acrescenta.
Tatiane Barros explica ainda que a ABA é uma entidade de classe, de âmbito nacional, e tem por objetivo promover a integração dos advogados associados, no Brasil e exterior, visando à consolidação das boas relações, cooperação e amizade.

Papel da Mulher na Advocacia
De acordo com a advogada, “atingir uma carreira estável e de sucesso exige aos advogados superar inúmeros desafios, pois, além do conhecimento técnico, é preciso desenvolver habilidades específicas e lidar constantemente com obstáculos na profissão. A luta das mulheres por mais respeito, trabalho, liberdade e valorização, cada dia mais presente na nossa sociedade, tem despertado as suas próprias escolhas, seja pessoal ou profissional”. Tatiane Barros acrescenta também que a mulher tem a capacidade de empregar conhecimento, inteligência, amor, planejamento em uma só atividade, mas também pode escolher fazer todas elas, assim é o empoderamento feminino. “Permitir que mais mulheres escolham seus caminhos é o nosso desafio, na luta constante pela igualdade de direitos entre todas as pessoas, buscando uma sociedade mais justa para todos”, finaliza.

Contato:
[email protected]

Compartilhe esse Post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Feito por
⚙️