Sexta-Feira, 01 de Outubro de 2021

Membros da ABA falam sobre seus respectivos trabalhos: Ana Ricarte, Auristela Campos, Abadia Aguiar e Lívia Quintieri

Ana Lúcia Ricarte celebra o sucesso à frente da ABA e sua maturidade profissional

Atuando como advogada há 27 anos, a Dra. Ana Lúcia Ricarte comemora o sucesso da sua liderança na Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso (ABA-MT), assim como a sua maturidade profissional, com atuação em todo o Brasil de forma on-line. A advogada fundou seu escritório em 1994, em Cuiabá, Mato Grosso, e atualmente também conta com os sócios Dr. Flávio Ricarte, Dra. Joelma Ribeiro e Dr. Carlos Eduardo Feliciano, que se dedicam ao Direito das Famílias e Sucessões, com foco em divórcio saudável das vítimas de abuso emocional. Apesar de ter atuação no Brasil inteiro de modo on-line, a Dra. Ana Ricarte firmou parceria com o renomado Escritório de Advocacia Moreira Garcia Advogados Associados, em Porto Velho, Rondônia.

Na ABA-MT, a advogada tomou posse como diretora em março de 2020 e vem obtendo o devido reconhecimento por sua excelente atuação nessa Associação que visa ao networking. “O sucesso foi tanto que, em fevereiro deste ano, recebi das mãos do presidente da ABA, Dr. Esdras Dantas, uma homenagem como a Diretora do Ano, pelos serviços que tenho desenvolvido na ABA-MT. Além disso, este ano é um período de conquistas em que a ABA-MT se destacou no Brasil todo, por conta das 20 comissões atuantes em Mato Grosso, que são compostas por profissionais competentes, aguerridos, com advocacia de ponta e desenvolvem trabalhos, projetos e eventos fantásticos”, comenta.

Muito atuante profissionalmente, além do escritório e de ser diretora da ABA-MT, Dra. Ana Ricarte também é palestrante, mentora, âncora do programa de Rádio “Prosa Jurídica”, da Rádio Metrópole FM 105,9, e do Quadro “Prosa com Estilo”, no Programa Estilo, da TV Cidade Verde, dividindo a apresentação de ambos os programas com a sua colega Dra. Lívia Quintieri.

Revista Magazine Ilustre – Quais desafios têm enfrentado na profissão?

O primeiro desafio é o momento em que vivemos, pois com a pandemia a violência aumentou no seio das famílias, uma vez que todos os problemas sociais que já estavam sendo discutidos e atacados pioraram. Isso impactou o Poder Judiciário e os escritórios de advocacia voltados para a área das famílias.

As demandas judiciais aumentaram e com elas as complexidades naturais do momento que estamos vivendo. Como profissionais da área, tivemos que redobrar o cuidado com a segurança física e emocional dos clientes, criar protocolos de atendimento, procedimento e suporte. Estamos todos submetidos ao estresse da pandemia e como prestadora de serviços procurei aproveitar o momento para me atualizar de forma diferente, com um olhar em várias frentes que implicam a vida das famílias e da sociedade. A leitura, os cursos, os congressos e as lives me ajudaram muito a compreender o que realmente importa para os (as) clientes e para as pessoas que lidamos no dia a dia. Mas eu vejo os desafios como oportunidades de desenvolvimento, de crescimento e de reflexão. É importante entender que crescemos com o sofrimento, com as dificuldades e devemos procurar olhar para o futuro com um olhar de mudança e reformas.

Revista Magazine Ilustre – Como é liderar a Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso?

É um desafio e uma honra para mim. Sou grata ao Dr. Esdras Dantas, presidente da ABA, pela confiança, apoio e carinho que ele dedica à ABA-MT. Atualmente, em Mato Grosso a Associação conta com 180 advogados(as) associados(as), tem 20 comissões temáticas, e todas desenvolvem um trabalho formidável, voltadas para o networking, informação, desenvolvimento profissional. Vejo a ABA como uma vitrine e um oceano de oportunidades. Nossos advogados e advogadas de Mato Grosso estão conhecendo melhor e aproveitando essas oportunidades muito bem, assim como produzindo muito conteúdo de valor e eventos de alto nível.

Revista Magazine Ilustre – Como está sendo sua experiência como comunicadora em rádio e televisão?

Eu estou amando trabalhar como apresentadora e comentarista nos programas em parceria com a Dra. Lívia. O programa “Prosa Jurídica” vai ao ar, ao vivo, toda quarta, das 17h30 até 18h30, e é transmitido pelo Facebook e pelo YouTube da Metrópole FM. Temos recebido convidados e convidadas excelentes com intuito de informar a população sobre seus direitos e sobre temas que envolvem a vida cotidiana da população. Além disso, também recebemos o carinho dos ouvintes, o que é muito gratificante. A Metrópole FM é uma rádio com serviço prestado à sociedade, por ser comunitária. Então, estamos na rádio todos e todas a serviço da sociedade para levar informações. Sou grata ao Munhoz, que é um excelente radialista e tem nos ensinado muito sobre a comunicação radiofônica. O quadro “Prosa com Estilo”, do programa Estilo, de Herbert Mattos, também está nos fazendo feliz. Eu e a Lívia aprendemos muito com o Herbert sobre comunicação televisiva. Nosso público é muito carinhoso, dedicado e os feedbacks recebidos têm sido importantes para nós. No quadro “Prosa com Estilo” a proposta é muito parecida com a da rádio, mas na TV temos convidados(as) de todas as áreas profissionais e empresários(as) e conectamos todos os assuntos importantes para a sociedade. A comunicação nestas áreas colabora com o nosso crescimento pessoal, pois temos que estar sempre atentas à forma de comunicar o público. Somos gratas ao Herbert pela oportunidade.

Ana Lúcia Ricarte, Advogada familiarista.

www.ricarte.adv.br

Instagram: @anaricarteadvogada / @prosa_juridica / @prosacom.estilo / @aba_mt

12/21 Boutique completa um ano de atuação em dezembro, em Cuiabá

Inaugurada em dezembro de 2020, a 12/21 Boutique é onde você encontra o look perfeito, valorizando sua autenticidade e contando com diversidade de estilos, para os mais variados públicos. À frente do empreendimento está a empresária e membra da Associação Brasileira dos Advogados em Mato Grosso (ABA-MT), Auristela Campos.

“Já atuava na área empresarial, pois tinha uma agência de viagens. Mas, devido à pandemia, vi a necessidade de fechar essa empresa. Incentivada por familiares e amigos, que sempre me enfatizaram minhas habilidades para trabalhar nesse universo, com o encerramento das atividades da agência de viagens, refleti o que poderia fazer. Lembrei que desde a época da faculdade de Direito, já pensava em abrir uma loja de roupas femininas. Então, embarquei nesse sonho e o concretizei. Assim, ‘nasceu’ a 12/21 e no dia 5 de dezembro de 2020 abrimos as portas para o público”, explica.

De acordo com Auristela Campos, o nome da boutique é uma referência ao número do endereço da loja (1221), mas também é a junção de dois números importantes: 12, que se refere ao mês de inauguração da loja e ao período “mais lindo do ano” (dezembro), conta a empresária; já o 21 é relativo ao dia em que a empresária faz aniversário.

Trabalhando com as melhores marcas, produzidas em Belo Horizonte e Paraná, a 12/21 atende todos os públicos femininos. “Escolhi trabalhar com várias fábricas justamente para que consigamos atender a vários estilos e a todos os níveis sociais, pois não quero distinção de classe social, nem de modelagem e tampouco de estilo. Afinal, toda mulher tem um estilo próprio e quero poder alegrar a todas elas. A Boutique 12/21 é para todas as mulheres: as magrinhas, as mais encorpadas, as baixinhas, as altas, as esportistas, as mais clássicas, as que prezam conforto e as que gostam de valorizar as curvas”, destaca.

Auristela Campos ressalta ainda que a 12/21 é a única loja em Cuiabá que trabalha com a franquia Lança Perfume. “Atualmente você encontrará essa marca no Shopping Goiabeiras e na 12/21”. Finalizando, a empresária salienta que atende Cuiabá e a toda Baixada Cuiabana. “Realizamos entregas em Campo Verde, Chapada dos Guimarães e Barão de Melgaço. E é nossa intenção ter lojas em outras cidades de Mato Grosso”, conclui.

Além da capital mato-grossense, a loja também tem representantes de vendas em Jaciara e Rondonópolis.

12/21 Boutique fica localizada na avenida Isaac Póvoas, 1221, Bairro Popular.

(65) 9648 5336 | ‎(65) 3052 9605 | ‎[email protected] | @1221boutique | Contato Rondonópolis: (66) 9982 7958 | Contato Jaciara: (66) 9901 0941

ABA-MT e advogada Lívia Quintieri lançam livro digital sobre abuso emocional

 Atuando nas áreas de Famílias e Sucessões, a advogada Lívia Quintieri vem buscando difundir ainda mais seus conhecimentos sobre esse segmento do Direito. Pensando dessa maneira, Lívia Quintieri é uma das autoras do e-book “Abuso Emocional Nunca Mais”, publicado pela Associação de Advogados do Brasil, em Mato Grosso (ABA-MT). Além desse trabalho recentemente lançado, a advogada também está atuando como comentarista jurídica do programa de rádio “Prosa Jurídica” e como apresentadora do programa de televisão “Prosa com Estilo”, ambos contando com a participação da Dra. Ana Lúcia Ricarte.

Formada pela Universidade de Cuiabá (Unic), Lívia está cursando pós-graduação em Processo, Negociação e Arbitragem, assim como é capacitada em Legal Design pela Legalhub, em Marketing jurídico e em Estratégia de Marketing de Mídia Sociais, pela São Paulo Digital School, e em Gestão Inovadora para Advogados pela Startse. Também atua como empresária no segmento de ensino, membro e colaboradora da Comissão de Direito das Famílias e Sucessões da Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso (ABA-MT), presidente da Comissão de Direitos da Mulher da ABA-MT, membro e colaboradora do Instituto Brasileiro de Direito de Família, membro e colaboradora da Comissão de Família e Tecnologia do Instituto Brasileiro de Direito de Família. “Também sou mãe de duas crianças e esposa de um grande homem a quem eu admiro muito, que são os amores e as razões da minha vida”, destaca.

Para falar um pouco sobre o e-book, a advogada concedeu uma entrevista à Revista Magazine Ilustre, destacando as consequências sociojurídicas do abuso emocional.

Magazine Ilustre – Como identificar o abuso emocional?

O abuso emocional é extremamente nocivo, pode deixar marcas mais profundas que a violência física e suas consequências são devastadoras. Em nosso país, o Direito à Dignidade da Pessoa Humana é assegurado pela Constituição Federal. Portanto, atitudes que violem esse direito, ou seja, que firam a moral, a honra, a reputação ou que gerem danos emocionais são consideradas crimes contra a honra. Dentre eles, temos: calúnia, injúria e difamação. A calúnia é quando se imputa falsamente fato definido como crime. Já difamação refere-se ao fato ofensivo à sua reputação e injuriar é ofender a dignidade ou o decoro. Muitas vezes, pensa-se que essas situações podem ocorrer somente em ambientes profissionais. Mas isso também pode ocorrer em uma relação familiar. Além dessas situações, o abuso emocional está relacionado à violência psicológica, que, assim como a violência física, deixa marcas. Por vezes, o abuso emocional pode passar despercebido e, às vezes, tido como normal nas relações familiares. Mas não deveria ser. Temos diversas legislações que coíbem comportamentos de abuso emocional. Por exemplo, Lei Maria da Penha, Estatuto da Criança e Adolescente, Estatuto do Idoso e Código Penal. A Lei Maria da Penha, em seu artigo 7°, descreve muito bem situações de abuso emocional, quando aponta formas de violência doméstica e familiar contra a mulher, “qualquer conduta que cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, violação de sua intimidade, ridicularização, exploração e limitação do ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação”. Outra legislação que descreve situações relativas ao abuso emocional é o Código Penal, que foi recentemente alterado para incluir o artigo 147-B, que tipifica a violência psicológica contra a mulher como o ato de ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave. Por fim, destaco que o abuso emocional cometido contra a mulher acarreta vários danos, impedindo seu crescimento, tanto no ambiente profissional quanto no pessoal e social. Nos casos de abuso emocional, o sofrimento a que a mulher é submetida demanda dos profissionais que atuam nessa área uma sensibilidade maior, pois as vítimas se encontram vulneráveis. Dessa maneira, uma escuta atenta e compreensiva nesses casos é essencial. Já com relação às crianças e aos adolescentes, independentemente da motivação, o abuso emocional ou violência psicológica que os pais possam praticar é errado e deve ser coibido.

Magazine Ilustre – Como fazer para provar quando ocorre abuso emocional e violência psicológica?

Diversas vezes, esse tipo de violência vem de forma verbal ou escrita. Por isso, para comprovar esses abusos, alguns cuidados e procedimentos devem ser adotados para que a prova seja válida. Podemos citar alguns exemplos, como: os prints precisam estar lavrados em ata notarial, para que se confira o contexto da conversa e que sua legitimidade seja reconhecida. Também é necessário ter cuidado com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e a inviolabilidade dos sigilos telefônicos, para que os meios de provas não se tornem uma invasão de privacidade. Além disso, é possível usar vídeo, mas se houver dúvida quanto à autenticidade, um perito poderá conferir se ocorreu ou não adulteração desse material. É relevante destacar que o laudo psicológico produzido por um profissional capacitado é de grande importância para comprovação do delito.

Magazine Ilustre – Gostaria de acrescentar alguma informação?

Para quem quiser saber mais sobre abuso emocional, o e-book está no meu site (liviaquintieri.com.br) ou nas redes sociais digitais, tanto minha como da ABA-MT. Por fim, saliento que as vítimas de abuso emocional precisam ser dotadas de mecanismos legais de proteção cada vez mais efetivos que lhes tragam segurança e paz!

 Site: liviaquintieri.com.br

Instagram: @livia_quintieri / @aba_mt

Advogada Maria Abadia Aguiar fala sobre sua atuação na advocacia e na ABAMT

Uma mulher de sorriso fácil e muito dedicada à família e ao trabalho. Assim é Maria Abadia Pereira de Souza Aguiar. Natural de Poxoréu, criada em Dom Aquino, Mato Grosso, desde sempre sabia que sua escolha de vida seria a advocacia, por ser um sonho idealizado por seu amado pai. Mesmo ante as dificuldades da vida, nunca mudou essa aspiração e o desejo de atuar nessa área.

Formou-se como Técnica em Contabilidade, mas logo em seguida engravidou, razão pela qual adiou o início da realização do sonho, imaginado a dois, de cursar Direito. Mas desistir nunca foi uma opção em sua vida, pois Dra. Abadia enfrentou muitas pedras em seu caminho. Ela diz que “assim como o rio, contornei os obstáculos e segui em frente, sempre contando com os eternos amigos que foram os anjos enviados por Deus, para me socorrer e proteger”.

Em 1978, ela vê seu objetivo começar a tomar forma ao passar no vestibular da Universidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo, culminando com a realização plena e absoluta, quando em 1984, recebeu sua Carteira de Advogada. Desde então, atua no mercado mato-grossense. Já são 37 anos na advocacia, construindo uma forma de trabalhar pautada em princípios éticos sólidos, com qualidade técnica e no trato com os clientes, sempre de forma mais informal.

Atuou como advogada Criminalista, chegando a fazer parte da Comissão de Direito Penal e Processo Penal da Ordem de Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB/MT), contribuindo com a instituição sempre da melhor forma possível quando solicitada. Abadia lembra: “Naquele tempo não era como hoje, que se deve escolher uma área determinada para exercer melhor o seu mister. Os advogados, com algumas exceções, somente atuavam no Direito Criminal. Eu não! Já fiz de tudo um pouco dentro do âmbito jurídico e nunca perdi o foco maior – sempre ajudar os mais necessitados”.

Deixou de atuar na área Penal e Processual Penal em 1988, quando o marido, então Delegado de Polícia Civil Judiciária, Dr. Carlão, aposentou, tendo em vista que o ritmo de trabalho era muito pesado e sem horário nessa área. Assim, pela paz da convivência do casal, Dra. Abadia Aguiar conta que passou a advogar mais especificamente nas áreas Trabalhista e Civil. Para a advogada, os desafios de atuação, seja em qual área for, são diários porque nenhum fato é igual ao outro. Por isso, é preciso sempre estar estudando.

Atuação na ABAMT

Dra. Abadia se entusiasma ao falar sobre a Associação Brasileira de Advogados em Mato Grosso (ABA/MT). “A ABA, na pessoa da Dra. Ana Lúcia Ricarte, foi mais uma benção de um anjo enviado por Aquele que sempre cuida de mim. Estava numa fase muito difícil emocionalmente e, ao participar da ABA, essa grande família só me acrescentou ânimo e motivação para me reinventar”, diz. O entusiasmo foi tanto que ela se animou e fez a mentoria sobre como advogar, em Portugal, começando do zero, com o renomado Dr. Renan Perrotti.

Com a experiência de quem chegou aos 67 anos com espírito jovem, advogada afirma que tem sede de saber e nunca teve preguiça. “Aliás, nunca tive esse direito”, diz ela com seu característico bom humor. “Assim, a cada dia aprendo as novidades desse mundo e do novo normal. Além disso, todas as associadas da ABA/MT indistintamente têm me oferecido suporte técnico, tanto que às vezes no grupo falam de assunto e o texto técnico, por exemplo, é em inglês. Eu já grito ‘traduzam, por favor!’, conta Dra. Abadia, emendando uma gargalhada. Por fim, ela destaca que a ABA/MT, além de fazer essa aproximação entre os colegas das mais diversas áreas de atuação, estimula a melhoria contínua de seus membros, cada um dentro dos seus conhecimentos.

Compartilhe esse Post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Com muito ❤ por go7.site